segunda-feira, abril 28, 2008

E, ao fim de MUITO TEMPO, regresso dos Piratas!!!









Anthony Louie é o nome


Deste vosso dedidado


Pirata de bom renome


Cavalheiro refinado...




Apreciador de acepipes


Por MacGregor cozinhados


Explorador de recifes


De oceanos e descampados...




Aventureiro e sonhador


Já me faltava este comvívio!


Enfrento os mares por Amor


E só assim encontro alívio...




Do Francis sou o companheiro


Para as estrelas observar!


E de Mac Gregor sinto o cheiro


Quando ele está a cozinhar!




De Lawrence Hayes já oiço agora


O anúncio do seu retorno.


Logn e Travis ainda andam fora.


Não sentem o aroma vindo do forno?!




Anthony Louie, Mar do Baleal, 28 de Abril da Primavera de 2008.



E CHEGA FRANCIS:



Se quereis saber, caros Amigos,


Já que tanto perguntais


Por onde andámos retidos,


Se vos digo, ficais mudos,


Porque, de facto, há mais mundos


E tantos, que nem sonhais!!!



Francis, the Star Gazer...



Ouvem-se os passos de MacGregor e a sua gargalhada:


Eis que vos conto, Senhores, o que realmente ocorreu:


Que raio de alimento
Fui eu confeccionar?
Caiu com desalento
Para o bucho revoltar!

Os vómitos eram tantos
Toda a carga foi ao mar
Entre cólicas e prantos
A uma ilha fomos aportar

Não sabíamos onde estávamos
Tudo era desconhecido e só
Ninguém sabia onde morávamos
Já todos nos víamos como pó

Por fim, claro, veio a salvação
Um panelão ainda flutuava
Visto por um grande clarão
Que a casa nos transportava

Já melhores e de regresso
Saqueámos novo galeão
E por isso a todos eu peço
Que nos abram seu coração

Boas comidinhas prometo
De regresso à vida normal
Se te saqueio não me meto
Noutra aventura igual

Fazer bem a comida e escrever
Piratear, com toda a elegância
Roubar sem deixar entender
Que a vida tem esta fragância

Alexandre MacGregor, o "Chef" dos Sete Mares...

Mar do Baleal, Primavera de 2008.

segunda-feira, setembro 25, 2006

Diário de Bordo de Francis - Excertos

O Regresso






Nós Piratas cá voltámos,
De uma grande tropelia,
Porque entretanto estivemos,
Noutro Mundo! Foi Magia!

Ainda andávamos nós
A preparar a festinha
Quando ficámos a sós
Levámos com algo na pinha...

Encontrámo-nos de novo
Juntos num sítio diferente
Era uma ilha de sonho...
Ali não havia gente...

De sonho a ilha era feita...
Dava para tirar férias...
E na harmonia perfeita,
Pensámos em coisas sérias.

Semanas depois...




Que tal regressar ao seio
De outros amigos também?
Temos saudades de todos
E chorar não fica bem...

Passámos a construir
Algo que fosse ligeiro,
Para podermos partir.
E cada um chegar inteiro.

Uns colectaram comida
Outros troncos, lianas.
Saudosa foi a partida,
Daquelas terrras estranhas.

Cada um vos contará
O que por lá aprendeu
E cada um vos dirá
Do sonho que foi o seu.

Porque tendo viajado,
Apertados, todos juntos,
Os silêncios eram muitos
E só o grito inesperado :

TERRA À VISTA!!!

Os fez de novo acordar
E ao vosso seio regressar.

Ahoy!


Excerto do Diário de Bordo de Francis

Fotos de Travis

sexta-feira, setembro 22, 2006

O regresso dos Piratas!

Estamos de volta!!

Por onde andámos??

Por Terra?! No Ar?! Pelo Mar?!

Para o saber vão ter que esperar,

Pelas estórias que temos para vos contar,

Não vos esqueçais de aqui voltar,

Se mais quiserdes desvendar.

ARRRR ... it feels gooood to be baaaack ...

sexta-feira, junho 09, 2006



foto by Travis the Spicelover

sábado, junho 03, 2006

Ahoy amigos,ahoy!!















Cá estou eu para acalmar esta confusão
Que assaltou o nosso navio
só por causa de um tacho e de um panelão.

Acalmem-se amigos,que há que chegue para todos!
Na vida o mais belo que temos é poder partilhar
e com isso aprendermos para depois avançar.

Que tal chegarmos a acordo e organizarmos um jantar,
que por esta hora já o meu estômago se começa a queixar,
mas há para todos,pois enquanto um cozinha,o outro parte a pescar!

Não se esqueçam do tesouro que temos para encontrar,
pois é com ele que poderemos este mistério desvendar
e então partir à descoberta de outros mares para navegar!

sexta-feira, junho 02, 2006

Continuação da Odisseia... e da perseguição ao turista infiltrado (Pedro Melo, o assaltante de marmitas!!!)


Toda aquela confusão
Lá se tinha originado
Por causa de um folião
Que se tinha infiltrado!

Havia que esclarecer,
Mesmo querendo ir a terra,
O que estava bom de ver!
E ao Francis saltou-lhe a guelra:

(Bem que o Logan quiz dizer...
E pôr tudo em pratos limpos,
Só que não podia ver,
Com cabelo até aos brincos...)

Vai daí, que trocou tudo.
Pena de pavão por pato,
Trocou botim por sapato.
E víu Braga por um canudo
Quando Francis lhe disse à orelha:
-É melhor não dizer mais.
Não me visto de animais,
E muito menos de ovelha!

Logan se quer um conselho,
O melhor é ver-se ao espelho,
Pois vai de roupa interior
P'ra rua sem dar por tal,
Cada pé com sua cor,
O que só nos deixa mal...

A culpa de tudo afinal
Era do turista indigente!
Metera-se lá no baú. O tal,
Com roupa de toda a gente...

Louie, que tinha entretanto
Encontrado uma outra arca,
Chegou ao convés dizendo :
-Não se amofinem por tanto,
Que há aqui roupinha à farta!...

O MacGregor, já sorria
Ao ver tanta fatiota.
"Aquilo é que serviria,
Ía ficar bem janota..."

Travis que já se calçara,
Estava todo aperaltado.
Vê passar, como uma vara,
Rápido, o tal infiltrado.

-Apanha-o aí no porão!
Gritou ao Lawrence, aflito.
Eis senão o capelão,
Assustou-se e deu um grito:

-Anda cá meu trapaceiro,
Se te apanho, já te digo.
Puseste água no tinteiro,
E ao meu lanche chamas figo...

-Será que ele me meteu,
Algo no que eu tivesse bebido?
Já Logan se defendeu,
Ao ver-se quase nu e aflito.

E lá de cima o vigia,
Ria-se até se fartar!
Há muito que ele não via,
Confusão sem ser no mar.

Eis senão quando alguém viu,
Passando lá da cozinha,
Sorrateiro que nem um pio,
Um fulano de marmita...

FRANCIS, the Star Gazer...

domingo, maio 28, 2006


Foto by Travis the Spicelover

Odisseia Virtual (ainda sem titulo) Continuação

A terra tínhamos chegado,
E o barco atracado.
Logan ajeitado o farto cabelo encaracolado,
Piratas corriam por todo o lado.

Francis não ficou atrás,
De lenço por cima da orelha
E casaca de pele de ovelha,
Ainda com aroma a flores de maracujás

Travis, eternamente atrasado,
Procurava ainda o sapato.
No chapéu esvoaçava uma pena de pato!
Por cima da casaca de pano riscado.

No meio de tanta agitação,
Todos queriam sair da embarcação,
Porém, mal o primeiro pé roçou o chão,
Já McGregor esbracejava e berrava “NÂO”!.

Tinham-lhe amarfanhado o fato,
De seda e algodão,
Que lhe tinha custado um Galeão.
Receoso, Louie, logo ali propôs um trato.

Tinha sido por distracção,
Logo quando tinha subido a bordo da embarcação,
Que aqueles “lindos” trapinhos tinha, por suposição,
Julgado serem sobras de alguma representação.

E, alheio a esta confusão,
Emergiu Lawrence, do porão
Cheio de rendas e ostentando um grande chapelão.
“-Vamos lá então!”

“-A TERRA NINGUÉM VAI!”

Lá de cima o vigia,
Nem acreditava no que via,
No convés do feroz couraçado,
Pelo menos ao que parecia,
Reinava confusão de dar brado!

terça-feira, maio 16, 2006

Ahoy!















Em noite de tempestade foram dar
os corajosos piratas ao velejar
marés mais calmas e serenas
à busca de aventuras mais plenas.

Vejam onde chegaram estes aventureiros
depois de terem atravessado mares e oceanos
numa cruzada de sentimentos verdadeiros
chegando ao fim do teatro e baixando os panos!

segunda-feira, maio 15, 2006

Odisseia Virtual (ainda sem título)

“– Terra à vista!”,
Gritou desesperado,
O amigo turista infiltrado

Sobressaltado, o marinheiro
Largou o cabo certeiro,
Em cima do gritador aperaltado

“– Caçar Velas!”, gritou o Capitão
“– Deixem-me ao menos acabar o meu feijão
Resmungou o capelão.

No meio de tanto alarido,
Surge com ar combalido
O nosso infiltrado amigo.

Tentando passar despercebido
Não fosse de novo atingido
Por outro marujo com ar de mendigo

“ – Piratas! Flibusteiros!”, grita alarmado o vigia
Pois que de terra, o barco já se via
E ao que vinham, nem ele sabia.

* * *

Para esta história continuar,
Há que primeiro parar, para respirar
E no entretanto, o título encontrar.

Sugestões aqui poderão deixar,
Para Logan e Travis as encontrar,
E, quem sabe, utilizar. Arr!